Os cães não transmitem Calazar; eles são tão vítimas quanto os humanos.

A Leishmaniose visceral, conhecida por Calazar, usando como ilustração imagens de animais de rua, notadamente cachorros. A ilustração, acaba por criar na população um medo de que os cães abandonados transmitem a doença.

O medo dos animais gera a reação de raiva contra os cães, e muitas pessoas tendem, inclusive, a pregar o sacrifício do animal de ruas – e muitos agem com as próprias mãos.

Cães não transmitem Calazar.

Os animais são infectados da mesma forma que os humanos, a transmissão ocorre pelo mosquito-palha ou birigui. E precisam ser tratados da mesma forma.

Tem mais: cães, mesmo já infectados, podem levar uma vida normal se tiver o tratamento adequado e os medicamentos necessários para sua qualidade de vida.

O animal doente é tão vítima quanto o homem; e não precisa ser assassinado

Repita-se: os animais não transmitem Calazar.

– A doença não é contagiosa nem se transmite diretamente de uma pessoa para outra, nem de um animal para outro, nem dos animais para as pessoas. A transmissão do parasita ocorre apenas através da picada do mosquito fêmea infectado.

O que leva à epidemia de cachorros doentes – tão vítimas quanto os humanos – é o abandono por parte do poder público de nossa cidade.

Em Parauapebas por exemplo, o centro de vigilância de zoonoses nunca saiu do papel.

Os cães – e gatos – que deveriam ser tratados pelo poder público – só conseguem sobreviver graças à ação de protetoras independentes, que ainda têm o trabalho de esclarecer população sobre o preconceito com os animais em situação de rua.

Coisa que deveria ser obrigação do poder público…