Em Ourilândia do Norte, a Polícia Civil, em cumprimento a Mandado de Prisão Preventiva, prendeu ontem, dia 29, Cléber Soares Dias. A captura se deu por volta de 12h30, na empresa em que ele trabalha. Dias é acusado de ter abusado sexualmente da enteada durante sete anos, desde a infância da moça. Agora, com 14 anos e tendo mudado para outro Estado, ela criou coragem e o denunciou, contando que não o fez antes porque era ameaçada de morte por ele, caso contasse a alguém. O mandado foi expedido pelo Juízo da Comarca de Ourilândia do Norte após representação do delegado que preside o inquérito do caso.

Também ontem, dia 29, foi preso em Parauapebas Fernando de Sousa Batista, 33 anos. Ele é acusado de ter abusado sexualmente da própria filha, uma criança de três anos de idade, em 16 de setembro deste ano.

Separado da mãe da menina e sem vê-la há algum tempo, Fernando um dia apareceu dizendo que gostaria de se reaproximar da filha e pediu para levá-la para casa por um fim de semana. A mulher achou estranho, mas consentiu que ele ficasse com a menina.

Abusou da filha de três anos e culpou o demônio
Dias atrás, conversando com a criança, a menina contou que o pai havia colocado o “pintinho” em sua boca. Imediatamente a mãe interpelou Fernando por meio de mensagens de WhatsApp. De início, ele negou e tentou colocar a culpa no padrasto da filha.

Leia também: Cantor acusado de estupro preso em Marabá

Mas, pressionado pela mulher, confessou o ato repugnante, pediu perdão e disse que, quando abusou da criança, estava “possuído pelo demônio”. Com as mensagens de WhatsApp em seu celular como provas contra Fernando, a mãe da menina se dirigiu à Delegacia de Polícia Civil e denunciou o crime. Fernando foi preso imediatamente e negou tudo na DP, mas esqueceu a confissão que fez pelo aplicativo de mensagens de texto.

Texto: João Carlos